Lenin, ou a Política do Tempo Partido

Fonte: "Marxismo, Modernidade e Utopia", Editora Xamã, São Paulo, 2000). Transcrição: Autorizada por José Corrêa Leite, organizador da coletânea. HTML: Fernando A. S. Araújo Na onda de anti-marxismo que acompanhou a ofensiva liberal dos anos 1980, a estatura de Marx permanecia suficientemente imponente para que pudéssemos ter certeza de um retorno à graça, de uma reabilitação editorial e acadêmica, com a condição de ser numa versão light, sem o lastro de sua carga subversiva. Podia-se mesmo esperar alguma indulgência com relação à Trotski, em reconhecimento dos talentos literários atestados por sua História da Revolução Russa, e em função da fascinação estética que suscita seu destino trág

Atualidade da teoria leninista da organização à luz da experiência histórica

Fonte: MANDEL, Ernest. A Teoria Leninista da Organização. Lisboa: Edições Antídoto, 1975. pp. 119-154. https://www.marxists.org/portugues/mandel/ano/mes/atual.htm 1. Marx não nos deixou uma teoria acabada da formação da consciência de classe do proletariado nem, do mesmo modo, uma teoria acabada do partido. Existem nas suas obras elementos fragmentários duma tal teoria mas esses elementos aparecem muitas vezes como contraditórios, pois evidenciam quer um quer outro dos aspectos da formação desta consciência de classe que prevalecem na análise marxista. Umas vezes surge o elemento que opta pela maturação subjectiva do proletariado a longo prazo — em função da própria condição proletária, que

O socialismo e o futuro. Façamos renascer a esperança

No dia 05 de Abril, há 96 anos atrás, nascia o político belga Ernest Mandel. Com a intenção de homenagear esse grande militante, a Comuna publicará, no decorrer dos próximos dias, algumas de suas reflexões. FONTE: https://blogdaboitempo.com.br/2018/04/03/mandel-o-socialismo-e-o-futuro-facamos-renascer-a-esperanca/ Este é o texto de um discurso apresentado pelo economista e militante trotskista Ernest Mandel para o 3º encontro do Foro de São Paulo de partidos de esquerda, que se deu na Nicarágua em julho de 1992. Publicado originalmente em inglês na International Viewpoint, a tradução é de Pedro Barbosa, para o Blog da Boitempo. * * * Restaurar a credibilidade do socialismo Desde a metade

Prefácio de Daniel Bensaïd ao livro de Livio Maitan

“Para uma história da Quarta Internacional: o testemunho de um comunista contra a corrente” [“Towards a history of the Fourth International: The testimony of a communist against the current”], de Livio Maitan (1923-2004). BENSAÏD, Daniel. Prefácio ao livro “Para uma história da Quarta Internacional: o testemunho de um comunista contra a corrente” [“Towards a history of the Fourth International: The testimony of a communist against the current”], de Livio Maitan (1923-2004). (Tradução de Pedro Barbosa. Revisão de Bruna Ianni) Fonte: http://www.iire.org/node/862 História sem rugas A contribuição de Livio Maitan para uma história da Quarta Internacional é ao mesmo tempo um relato de uma

Um apelo para a publicação da história da Quarta Internacional de Livio Maitan

A Quarta Internacional está fazendo um esforço de arrecadação financeira para a publicação da tradução (para o inglês) do livro de Livio Maitan, "Para uma história da Quarta Internafional: o testemunho de um comunista contra a corrente". Livio Maitan (1923-2004) foi um militante e dirigente italiano da Quarta Internacional ao longo de muitos anos. Por ocasião de seu aniversário de nascimento, neste 1° de abril, aproveitamos para divulgar esta inciativa. Fonte: https://www.iire.org/node/860 Este livro é uma análise dos principais eventos da segunda metade do século XX, feita por um marxista e participante de tais eventos. Livio foi por um longo período parte da liderança da Quarta Internacion

colunas

boletim

facebook

por uma frente de esquerda!

acesse também

artigos

Ailton Lopes
Camila Valadão
João Alfredo

arquivo

navegue por tema

A Comuna é uma organização ecossocialista, feminista, antirracista, antilgbtfóbica, antiproibicionista e revolucionária fundada em 2017 no Brasil. Nos referenciamos numa tradição renovada do Marxismo, construímos a IV Internacional (CI) e atuamos como tendência interna do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).