O pensamento racista e a consciência e o programa antigenocida

Nem as sinapses dum pensamento racista no tecido neuronal duma pessoa branca (mais ou menos privilegiada pelo racismo) seria possível sem o suor do trabalho do povo negro, vítima desse pensamento racista e da estrutura cujas engrenagens esse pensamento racista lubrifica. A história da constituição de todo o sistema global que temos hoje em funcionamento vem empurrada com a acumulação erguida, necessariamente, às custas do tempo de trabalho extraído forçosamente pelo regime escravista, das riquezas usurpadas nos continentes vítimas do colonialismo (aqui invoco especialmente África e América Latina) e do uso dos próprios corpos e das próprias vidas dos povos africanos como mercadoria. Para a m

Diálogos entre feminismo e ecologia a partir da perspectiva de reprodução da vida.

Entrevista com Silvia Federici 10 de janeiro de 2018 Lorena Navarro Trujillo Mine * e Raquel Gutiérrez Aguilar * Tradução: Mari Luppi Revisão: Ana Carolina Andrade Silvia Federici é reconhecida por sua participação na Campanha Internacional de Salários por Trabalhos Domésticos nos anos 1970. Em 1980, ela trabalhou como professora na Nigéria e acompanhou várias lutas contra a desapropriação de terras. Ela é a autora de “Calibã e a bruxa: Mulheres, corpo e acúmulo original”, trabalho traduzido para catorze idiomas até o momento. No contexto de uma conversa durante alguns dias de agosto de 2017 na cidade de Nova York, onde vive há mais de quarenta anos, ela nos contou sobre a importância do di

Essência do Trotskismo?

Essência do Trotskismo? (Paul Le Blanc)(Tradução de Junior Colpani; revisão de Pedro Barbosa) Fonte: http://www.europe-solidaire.org/spip.php?article16158 Em resposta à minha resenha crítica da biografia de Trotsky feita por Robert Service [1], um leitor do jornal Links escreveu a seguinte resposta, com uma pergunta e uma sugestão: “Como de costume, um ótimo artigo de Paul. Eu me descreveria como um socialista (ou comunista) e penso que todos os suspeitos de costume como Marx, Lenin, Bukharin, Trotsky, Gramsci, Luxemburgo, Che, etc... valem a pena estudar. Então eu tenho uma pergunta para Paul – no penúltimo parágrafo você explica a essência da teoria de Trotsky. Mas eu argumentaria que todo

Por uma consciência ambiental de classe

Em um mundo onde debates são levados a cabo com uma frequência estonteante sobre os mais diversos e profundos assuntos, a questão ambiental chegar a ser reduzida a sentenças definitivas fugazes em redes sociais era uma questão de tempo. E não é recente não, pelo menos desde o advento do Orkut os debates em torno de questões políticas e ambientais se reduzem muitas vezes ao soterramento do bom senso pela ecolocalização da razão (O popular ganho no grito). Há tempos há uma (falsa) dicotomia entre a revolução socialista e a consciência ambiental, ou melhor, da consciência de classe e da consciência ambiental. O que combate mais o aquecimento global? Andar de bicicleta e não comer carne ou fazer

Os donos do cocô

A burguesia fede. A burguesia quer ficar rica. Afunda barcos cheios de crianças. E dormem tranquilos. A burguesia é a direita. É a guerra. Há 20 anos eram versos certeiros de Cazuza. Quem é a burguesia? São os donos do poder, os donos do cocô. Fedem, mas têm dinheiro para disfarçar aromas, para pagar jornal, TV, pacotes de mensagens via WhatsApp, robôs nas redes virtuais, comprar deputados, eleger milicianos e fazer o povo acreditar que a dívida e o cocô são do povo. Fazem até mesmo o povo acreditar que pobre é burguês. Mas os burgueses não vivem a vida dos pobres. Acreditar que só não está rico porque não trabalhou o suficiente. Mas o trabalho dos burgueses é explorar. Ou que a culpa é da d

Quem paga o almoço do dono do Itaú?

O debate em torno da Reforma da Previdência tem tido como ponto central o déficit público do Estado brasileiro, que chegou a R$ 120,3 bilhões de déficit primário em 2018. A proposta aprovada em primeiro turno na Câmara dos Deputados prevê uma economia de 90 bilhões de reais por ano. A proposta inicial do governo previa uma economia de 120 bilhões de reais por ano. Já a proposta do Psol para minimizar o déficit previa uma arrecadação aos cofres públicos no valor de R$ 142 bilhões de reais anuais, mas foi rejeitada na Câmara. A diferença entre as propostas do desgoverno de Bolsonaro e da aprovada na Câmara para a do Psol não está apenas no fato de que nossa proposta traria maior economia para

Animalismo, antiespecismo e ecologia a partir de uma perspectiva marxista

16/04/2019 Original: https://vientosur.info/spip.php?article14747 Tradução: Mari Luppi Revisão: André Coggiola O animalismo surgiu como um tema com impacto político há algumas décadas e está ganhando cada vez mais peso, especialmente em setores jovens. No Estado Espanhol, a mobilização em defesa dos animais, como um marco geral, gerou várias organizações - desde protetoras até organizações maiores, como Anima Naturalis - que têm uma atividade regular e certa presença na mídia, mas acima de tudo uma imagem pública muito positiva. No terreno mais político, há dois elementos que devem nos fazer notar a relevância do tema: em primeiro lugar, a presença de algumas dessas questões na política inst

colunas

boletim

facebook

por uma frente de esquerda!

acesse também

artigos

Ailton Lopes
Camila Valadão
João Alfredo

arquivo

navegue por tema

A Comuna é uma organização ecossocialista, feminista, antirracista, antilgbtfóbica, antiproibicionista e revolucionária fundada em 2017 no Brasil. Nos referenciamos numa tradição renovada do Marxismo, construímos a IV Internacional (CI) e atuamos como tendência interna do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).