A Comuna é uma organização ecossocialista, feminista, antirracista, antilgbtfóbica, antiproibicionista e revolucionária fundada em 2017 no Brasil. Nos referenciamos numa tradição renovada do Marxismo, construímos a IV Internacional (CI) e atuamos como tendência interna do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

O caminho da Servidão

17/06/2019

 


"A expectativa de vida no Nordeste tá na casa dos 70 anos de idade. Querer aprovar uma reforma com 65 anos é no mínimo uma falta de humanidade", assim afirmou o atual presidente na época de campanha.

 

Já agora afirmou que os "trabalhadores mais pobres já se aposentam aos 65 anos".

 

É verdade e, na proposta do governo, vai piorar! Os mais pobres demoram mais para se aposentar - os que conseguem - porque levam mais tempo para somar contribuição. E agora vão demorar mais se o tempo mínimo de contribuição aumentar para 20 anos.

 

E quem recebe o BPC - Benefício de Prestação Continuada, vai receber menos: 400 reais! Mas para o governo talvez seja um grande privilégio terem estendido tal benefício de 400 reais a partir dos 60 anos!

 

A tal reforma proposta pelo governo é uma corrida de obstáculos criada para tornar mais difícil o acesso à aposentadoria. Uma corrida quase impossível para os mais pobres.

 

Mas se somamos a proposta da reforma da previdência à reforma trabalhista e à emenda constitucional que congela os investimentos sociais por 20 anos, nós criamos no Brasil o caminho da servidão.

 

O caminho da servidão, ao contrário do que diz o liberal Hayek em seu livro, não está sendo criado por socialistas, mas pelos capitalistas brasileiros: conservadores e liberais.

 

O trabalhador brasileiro agora vai trabalhar ainda mais, ganhando menos, por mais tempo, num País com uma saúde e educação pública muito mais precária.

 

Já os grandes capitalistas continuarão sendo beneficiados pela política de juros do governo, pelo sequestro do dinheiro do povo trabalhador através do mecanismo de transferência de renda dos pobres para os ricos que é a dívida pública. Pelos benefícios fiscais, pelos perdões das dívidas. E continuarão sonegando.

 

E tentarão mostrar ao povo que isso tudo é bom. Que todos estarão no mesmo regime. E que todos precisam se sacrificar para cobrir o rombo de um déficit mentiroso.

 

Mas não. Não estão todos no mesmo regime. Os grandes banqueiros e os grandes capitalistas não precisam da previdência social. Os magnatas, os multibilionários, verdadeiros responsáveis pelo rombo fiscal do nosso País, não serão atingidos. Os grandes frigoríficos e mineradoras, os grandes bancos sonegadores de impostos não entrarão no sacrifício.

 

Não é rombo. É roubo. Ou sonegação, como caixa 2, também deixou de ser crime para o governo?

 

Artigo escrito por Ailton Lopes, candidato ao governo do Ceará pelo PSOL e militante da Comuna, para o Jornal OPOVO.

 

LINK DO JORNAL OPOVO: https://opovo.com.br/jornal/opiniao/2019/02/38388-o-caminho-da-servidao.html

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

acesse também

arquivo

Please reload

João Alfredo
Camila Valadão
Ailton Lopes

artigos

facebook