Justiça por Kathlen Romeu!


Arte por Alice Carvalho Escrito por João Paulo Valdo (*) O modelo da política de segurança pública brasileira é a do extermínio. O genocídio do povo negro segue desde a era colonial fomentando a dor, a separação e o luto das famílias negras e pobres. O encarceramento em massa é a outra face desse processo de criminalização da pobreza e da cor. O recente caso do assassinato de Kathlen Romeu, uma jovem negra de 24 anos, grávida de 4 meses, que foi baleada durante a operação da Polícia Militar, na comunidade do Lins, Zona Norte da capital do Rio de Janeiro, é a expressão dessa política de morte.


Na última década o número de homicídios de pessoas negras cresceu 11,5%, por outro lado, entre a população não negra, observou-se uma queda de 13%, segundo o Atlas da Violência de 2020. Esses números são resultados da fajuta guerra às drogas e da política de extermínio do Estado brasileiro, que precisa ser responsabilizado.


Kathlen e seu desejado filho tinham direito a vida. O governo do estado do Rio de Janeiro e o comando da Polícia Militar, mais uma vez, jogaram no chão corpos negros e precisam, portanto, serem imediatamente investigados pelo assassinato. Toda solidariedade à família e amigos de Kathlen!


Nem bala, nem fome, nem COVID. O povo preto quer viver! (*) João Paulo é assessor do Mandato Ilma Viana, militante da Comuna e do PSOL-ES.

acesse também

arquivo

João Alfredo
Camila Valadão
Ailton Lopes

Colunas 

facebook

NÃO_OUVIU_AINDA-02.png