Lutar é um ato de amor! Renatinho, presente!

A Comuna vem prestar sua solidariedade pelo falecimento de Renatinho do PSOL, vítima da Covid-19 (1952-2021)



Em 2004, quando o PT em seu governo realizava o primeiro de muitos ajustes fiscais, poucos resistiam. A onda dominante era a de depositar confiança em Lula e sua equipe, por mais que seguissem a mesma cartilha econômica de seu antecessor, FHC. Nesse ano, ainda filiado ao partido do governo, Gezivaldo Ribeiro de Freitas, o Renatinho do PSOL, era uma poucas vozes dissonantes e faria uma campanha para vereador em Niterói que agregaria a militância do nascente Partido Socialismo e Liberdade. O grupo de militantes que se organizou em sua campanha, hoje constrói correntes importantes no novo partido de esquerda, como o Subverta, MES e nós da Comuna.


Podemos dizer que a campanha de 2004 foi um ato pré-fundacional informal, porém prático, do PSOL na cidade de Niterói. Partido que na cidade sempre foi uma pedra no sapato das elites e suas forças reacionárias. E Renatinho, que se elegeu naquele ano e seguiu por alguns mandatos naquela cidade, seria a maior e mais incômoda pedra de todas.


Não é possível explicar a trajetória do PSOL em Niterói sem falar de Renatinho. Não apenas pela sua liderança parlamentar, mas pelo exemplo de combatividade, de um vendedor ambulante que conquistou a confiança da cética classe média e combativa classe operária da cidade do MAC. Mostrou que dignidade, coerência e lealdade com os oprimidos e oprimidas são mais importantes do que qualquer cargo. Lutou pelos abandonados e abandonadas do sistema, do Morro do Bumba ao prédio da Caixa, de seus camaradas ambulantes ao movimento de educadores, pelas pessoas com deficiência, como ele e pelos animais, seus grandes amores. Nunca, nunca os abandonou!


Foi vítima do vírus que não escolhe ideologia. Mas foi vítima mesmo, acima de tudo, da omissão de um genocida que alguns chamam de presidente. Poderia estar vacinado quando foi infectado. Poderia continuar lutando conosco pela vacinação dos demais brasileiros e brasileiras.


Nada além de nossa profunda dor, solidariedade para sua família, orgulho de ter tido entre nós um revolucionário despossuído imprescindível e, acima de tudo, gratidão pela sua existência e luta. O PSOL morre um pouco com o falecimento deste grande lutador. Morre mas pode renascer com seu exemplo. Jovens de Niterói continuam a olhar para ele como uma referência de combatividade. Que sejam Renatinhos! Que sejam até a vitória contra Bolsonaro e pela vida de nosso povo! Nenhum minuto de luto por Renatinho, mas uma vida de luta em sua homenagem! Renatinho, presente!


Comuna, 18 de março de 2021.




acesse também

arquivo

João Alfredo
Camila Valadão
Ailton Lopes

Colunas 

facebook

A Comuna é uma organização ecossocialista, feminista, antirracista, antilgbtfóbica, antiproibicionista e revolucionária fundada em 2017 no Brasil. Nos referenciamos numa tradição renovada do Marxismo, construímos a IV Internacional (CI) e atuamos como tendência interna do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).